Bergerac e seu Cyrano, na Dordonha

2019-09-26T11:01:45-02:00

A Dordonha é uma região belíssima, ideal para quem curte cidades bucólicas, vinhos de qualidade e belas paisagens. Em Bergerac, não é diferente.

Veja abaixo um pouco mais deste pitoresco lugar e as obras relacionadas ao Cyrano de Bergerac.

Em nossa última viagem à França deixamos para conhecer a Dordonha na parte final do percurso. Já havíamos passado pela Bretanha e por Paris, conforme os posts que já publicamos aqui.

Saímos de Paris em trem de alta velocidade (TGV) com destino à Bordeaux, onde alugamos um carro na própria estação, deixando para visitar a cidade no retorno.

No caminho entre Bordeaux e Sarlat-la-Canéda, passamos por duas cidades medievais incríveis: Saint Emilion e Bergerac.

A primeira, linda e já bem famosa por seus vinhos. A segunda, pouco conhecida dos turistas brasileiros, foi uma bela surpresa. Teríamos ainda outras surpresas na região como a cidade sagrada de Rocamadour.

Veja no mapa abaixo as cidades que percorremos nesta região de França, que vale muito a pena ser explorada.

Mapa viagem Dordonha

Mapa viagem Dordonha

Aqui vamos focar em Bergerac, cidade francesa do departamento da Dordonha, conhecida por seus excelentes vinhos e pelo célebre personagem: O Cyrano de Bergerac.

Um dia em seu pequeno centro histórico é suficiente para ver a bela arquitetura. Mas reserve um pouco mais de tempo se quiser visitar as propriedades locais produtoras de vinhos, que vão desde os de alta qualidade até os mais simples. As uvas mais utilizadas na região são Merlot, Cabernet Sauvignon, Semillion, Sauvignon  Franc e Blanc.

O CYRANO DE BERGERAC

O Cyrano de Bergerac é a peça mais famosa do poeta e dramaturgo francês Edmond Rostand.

Montada e encenada em todo o mundo, foi baseada na vida do escritor Savinien de Cyrano de Bergerac.

Savinien não nasceu na cidade, mas sua família possuía terras por lá.

Cyrano foi retratado na peça com um grande nariz. Como vemos na estátua em sua homenagem no centro histórico de Bergerac. Há outra estátua na Praça Myrpe.

Estátua do Cyrano de Bergerac no centro histórico

Estátua do Cyrano de Bergerac no centro histórico

Estátua do Cyrano de Bergerac na Praça Myrp

Estátua do Cyrano de Bergerac na Praça Myrp

AS OBRAS DE EDMOND ROSTAND E DO CYRANO DE BERGERAC

Além de escritor famoso em sua época,  o Cyrano destacou-se também como soldado e espadachim, envolvendo-se em muitos duelos. Mas ao deixar o exército em 1641, escreveu suas obras mais importantes:

  • a peça A Morte de Agripina, considerada blasfêmia pela Igreja;
  • e dois livros de ficção científica: História cômica dos Estados e Impérios da Lua; e História cômica dos Estados e Impérios do Sol.

Este livro sobre a lua pode ser considerado o primeiro de ficção científica da literatura francesa.  Cyrano, que defendia ideias ousadas para sua época, já imaginava uma viagem espacial, descrevendo inclusive, uma máquina utilizada para isto.

Para a peça de Edmond Rostand temos algumas traduções para o português, como a de Ferreira Gular abaixo:

Capa do Livro Cyrano de Bergerac

Capa do Livro Cyrano de Bergerac

Para outras obras do Cyrano, há versões em e-book em português, como o caso abaixo. Há possibilidade também de baixar gratuitamente em francês, atrás do site da tv5monde.

E-book do Cyrano de Bergerac

E-book do Cyrano de Bergerac

A CIDADE DE BERGERAC

Centro de Bergerac

Centro de Bergerac

Em sua história, Bergerac sempre se aproveitou da proximidade de suas terras de trigos, vinhedos e pomares, com o Rio Dordonha, expandindo assim seu comércio com as Ilhas Britânicas, a Holanda e o Báltico.

O Rio Dordonha, um dos mais belos e limpos da Europa, corta a cidade e também permite passeios de barco pela região. Estes passeios nas chamadas Gabares de Bergerac, um barco típico, duram em torno de 50 minutos. Veja detalhes no site oficial de turismo.

Rio Dordonha e as Gabares em Bergerac

Rio Dordonha e as Gabares em Bergerac

Mas se barco não for a sua opção, o melhor é andar pelas ruas do centro histórico, admirar as antigas construções e se perder por ruelas medievais.

Para os que gostam de entrar em igrejas antigas há a Igreja de Santiago, construída pelos peregrinos do caminho de Santiago de Compostela.  E a de Notre Dame, fora do centro histórico. A cidade também é parada de muitos peregrinos que optam pelo caminho francês.

Ruas bucólicas e aquele clima de cidade antiga deixam a gente hipnotizado, imaginando quantas histórias já se passaram nestas casinhas tão convidativas.

Ruas do centro histórico

Ruas do centro histórico

Há outras partes interessantes a se conhecer, mas é difícil sair do centro histórico. Por todos os lados os jardins, as construções antigas e bem preservadas, chamam nossa atenção.

Difícil não querer parar em um café e esquecer da vida. Ou melhor, apreciar os vinhos de Bergerac.

Alguns lugares fazem a gente imaginar que se está dentro de uma história mesmo!

Ruas de Bergerac

Ruas de Bergerac

DICAS PRÁTICAS PARA SUA VIAGEM À BERGERAC

1- Como Chegar?

Bergerac está a:

  • 120 km de Bordeaux.
  • 47 km de Périgueux (de onde partem ônibus para a cidade).
  • 60 km de Saint Emilion.

Como nosso objetivo era passar alguns dias na Dordonha, conforme mencionei acima saímos de Paris em direção à Bordeaux de trem.(2h de TGV).

Ao chegarmos na estão Saint Jean, alugamos um carro (reservado antecipadamente na Hertz) e seguimos por uns 50 Kms até Saint Emilion. Depois de conhecermos a cidade e almoçarmos em Saint Emilion, partimos para passar a tarde em Bergerac.

Veja mais detalhes sobre a reserva de trens e horários (quanto maior antecedência, melhor preço) no site da operadora francesa Oui.SNCF.

2- Onde ficar?

Não nos hospedamos na cidade, ao final da tarde seguimos viagem pois tínhamos reserva em Sarlat. Mas deixarei aqui duas opções de hospedagem:

  • Ibis Budget Bergerac – opção de baixo custo, mas longe do centro histórico.
  • Le Refuge d’Hugo – opção mais próxima ao centro histórico e com excelente avaliação no Booking.

3- O que comer?

Dordonha é a região do foie gras, trufas e patos. Estão em todos os cardápios, em diferentes versões.

Mas sempre haverá opções mais comuns como peixes, saladas, pizzas ou carnes grelhadas.

Aproveite e prove novos pratos, aprecie os sabores e os excelentes vinhos da região.

Uma boa maneira para isso é sempre percorrer os mercados (iguais às nossas feiras livres) que sempre acontecem pelas manhãs em quase todas estas pequenas cidades do interior francês. Imperdível!

 

Veja a primeira parte desta viagem pela França, começando pela Bretanha no post: Fougères: seu castelo e circuito literário

Acompanhe também outras viagens literárias que fizemos pela França, como pelo Vale do Loire. Veja mais no post: A Rainha Catarina de Médici no Vale do Loire.

Bon voyage!

 

Compartilhe:

Deixar um comentário