Fougères: seu castelo e circuito literário

2019-09-26T11:11:48-03:00

Gosta de história, literatura e se encanta com a época medieval? Então talvez você também se deslumbre com Fougères, seu castelo e circuito literário.

Em minha última viagem à França visitei a Bretanha, região belíssima repleta de cidades medievais, com ricas histórias que surpreendem os viajantes. É o caso de Fougères, localizada entre a fronteira da Bretanha e a Normandia e à 60 km de Rennes.

Mas antes de falarmos sobre Fougères, deixo no mapa abaixo as cidades que visitamos na Bretanha, todas próximas e com acessos tranquilos para visitar de carro. Falarei de cada uma, com detalhes, em posts futuros, como este: Saint-Malo: a cidade de Chateaubriand.

Chegamos à França pelo aeroporto Charles de Gaulle e lá mesmo pegamos um trem de alta velocidade(TGV) em direção à Rennes, nossa primeira parada na Bretanha.

Mapa de viagem pela Bretanha

Mapa de viagem pela Bretanha

A cidade de Fougères

Fougères- Vista para cidade alta

A cidade de Fougères já foi disputada por ingleses e franceses e anexada à França em 1448.

O Castelo de Fougères, uma fortaleza de pedra, que teve sua construção iniciada pelo barão Raoul II no século XII e só terminada no século XV. Passou por diversas melhorias para que suas torres, fosso e defesas fossem adaptadas para enfrentar estas turbulentas disputas.

Antes disso havia ali outra construção, que foi destruída pelo rei inglês Henri II Plantagenêt. Mas por estar em um promontório cercado de pântanos, o local era ideal para o Duque da Bretanha defender suas terras dos ataques franceses.

Fougères impressionou e inspirou Honoré de Balzac, que adotou o local como base de sua escrita e ambientação do romance Les Chouans, descrevendo-a como um local de amor e morte.

Capa do livro Les Chouans, de Balzac

Capa do livro Les Chouans, de Balzac

As ruas medievais de Fougères

Como muitos, adoro andar por ruas medievais!  Ficaria dias em Fougères, mas nossa reserva era de apenas uma noite e por sinal em um hotel muito bom e bem localizado (Best Western Hôtel Des Voyageurs) na parte alta da cidade.

E infelizmente não era um sábado, dia de seu animado mercado matinal e nem verão, quando a cidade costuma realizar uma feira medieval.

Segui o conselho da simpática recepcionista do hotel e logo partimos em caminhada da cidade alta até a fortaleza.

Centro de Fougères - Parte alta

Centro de Fougères – Parte alta

Pelo caminho, museus, igrejas antigas e ruas charmosas até o magnífico jardim público, que rende vistas espetaculares da cidade.

Atrás da igreja de Saint-Léonard encontramos a parte mais bonita do jardim.

Era o que pensávamos até encontrar esta vista maravilhosa e começar a descer por seus caminhos floridos e muito bem cuidados.

Vista do jardim público em Fougères

Vista do jardim público em Fougères

E foi no jardim público, que tem sua entrada ao lado da Église Saint-Leonard,  que reparei pela primeira vez  no circuito literário.

O Circuito Literário de Fougères

Jardim público de Fougères

Jardim público de Fougères

Caminhando pelo jardim público, no meio de tantas belezas naturais e históricas, nos surpreendemos ao encontrar trechos de obras literárias em placas espalhadas pelo caminho e não apenas no jardim.

São trechos de diversos autores relacionados à cidade por alguma razão.  Como as placas nas fotos abaixo,  com textos de Balzac e Guéhenno, que acabam despertando curiosidade por suas obras.

Placa com texto de Balzac

Placa com texto de Balzac

 

Placa com texto de Guéhenno

Placa com texto de Guéhenno

Mas se estiver com pouco tempo, deixe para trás o belo jardim e continue a descer. Há muito mais a explorar.

O Castelo de Fougères

Fougères- Parte Baixa

Fougères- Parte Baixa

Antes de chegar à fortaleza passamos pelo Rio Nançon, que separa a cidade alta da parte medieval mais antiga ou cidade baixa. Lá está a Place du Marchix, ladeada por casas em enchaimel.

Foi a primeira vez que o caminho para um castelo me impressionou mais que o próprio em si.

Entrada do Château de Fougères

Entrada do Château de Fougères

Mesmo tendo sido classificado como monumento histórico em 1862 e as escavações de 1925 revelarem boa parte de suas ruínas, restam ainda belas muralhas, altas torres e muitas escadas à desafiar imaginação e pernas de viajantes.

Ainda assim, uma visita imperdível. Consulte horários e valores de ingresso no site oficial do Château de Fougères.

Vista para o pátio interno do Castelo de Fougères

Vista para o pátio interno do Castelo de Fougères

A Bretanha ainda me reservaria muitas surpresas.

No dia seguinte à nossa visita à Fougères, partimos cedo para Saint Malo,  cidade corsária, murada, de marés intensas e vistas incríveis do Canal da Mancha.

Lá, logo de cara, como podem ver na foto abaixo, fui recebida pelo escritor Chateaubriand. Suas irmãs, por sinal, moraram em Fougères em belas mansões de pedra.

Mas Chateaubriand e Saint Malo são histórias para este outro post: Saint-Malo: a cidade de Chateaubriand

Estátua do escritor francês Chateubriand, em Saint Malo

Estátua do escritor francês Chateubriand, em Saint Malo

Dicas práticas para sua viagem à Fougères

1- Como chegar à Fougères

De carro à partir de Rennes. Alugamos um carro na estação de trem da cidade, em frente ao nosso hotel (Ibis Styles). Fiz a reserva ainda no Brasil pela Hertz para entregá-lo em Saint Malo.

Antes de Fougères, visitamos a cidade de Vitré. Valeu a pena, a cidade e seu castelo são lindos.

Château de Vitré

Château de Vitré

De trem+ônibus à partir de Paris. Há trens de alta velocidade (TGV) que saem da Gare Montparnasse (1:30h). Há também opções que partem direto do aeroporto Charles de Gaulle em direção à Rennes (2:30h).

Esta foi nossa escolha, ficamos duas noites em Rennes para conhecer a cidade e no dia seguinte partimos de carro para Fougères.

Mas você também pode pegar um ônibus (1:30h) na estação de Rennes para visitar a cidade.  Consulte preços e horários de trens e também dos ônibus no site da operadora de trens francesa Oui.SNCF. 

A dica aqui é reservar seu ticket o quanto antes, para garantir os melhores preços.

2- Onde ficar em Fougères?

Em Rennes: Pela proximidade com a estação de trem e fácil acesso ao centro histórico caminhando, ficamos no Ibis Styles Rennes Centre Gare du Nord.

Em Fougères: Como comentei no post nossa opção foi Best Western Hôtel Des Voyageurs, um hotel muito bem localizado e com um excelente atendimento.

3- O que comer em Fougères?

Essa dica vale para toda a Bretanha: Não deixe de provar as deliciosas opções de crepes (doce) e galletes (salgado) com recheios variados e uma massa fininha de trigo sarraceno, acompanhada da boa cidra brut local, geladinha. Delícia!

Cidra e galette de jambom et fromage

Cidra e galette de jambom et fromage

Acompanhe também a primeira viagem literária que fizemos pela França, visitando o Vale do Loire.

Comece pelo post: A Rainha Catarina de Médici e o Vale do Loire.

Bon voyage!

Compartilhe:

Deixar um comentário